Pedro lamenta desvalorização dos professores e defende aprovação da PEC da Nova Educação

PELA EDUCAÇÃO - Na data em que se comemora o Dia do Professor [15 de outubro], o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) fez uma reflexã...

PELA EDUCAÇÃO - Na data em que se comemora o Dia do Professor [15 de outubro], o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) fez uma reflexão sobre as condições de ensino no Brasil e, principalmente, a difícil realidade enfrentada pelos profissionais responsáveis pela educação. Pedro destacou os péssimos salários e o aumento da violência dentro das escolas brasileiras. Uma das soluções apresentadas pelo parlamentar foi a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição da Nova Educação (PEC 20/2015), matéria de sua autoria, que Institui o Magistério Público Nacional.

Segundo o parlamentar, são tempos difíceis para os professores brasileiros e não se tem muito que comemorar no dia de hoje. Destacou que essa é uma data para repensar o que se quer para a educação do Brasil e que é necessário que o Congresso vote e aprove a PEC da Nova Educação. A proposta estabelece que o professor é o instrumento responsável pela educação no País e que o Magistério Público Nacional, nos diversos níveis de escolaridade, é instituição essencial ao Estado, cujo estatuto tratará sobre a carreira unificada em todo o território nacional, garantias de exercício e de trabalho e subsídios.

Pedro lembrou ainda que os professores paraibanos da rede pública de ensino têm a pior remuneração bruta do País, segundo levantamento divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os profissionais recebem, em média, R$ 1.855,15 para uma jornada de trabalho de 34,6 horas semanais. O valor sobe para R$ 2.142,67 quando a carga horária é padronizada em 40 horas.

Violência - Outra questão tratada pelo deputado é o aumento da violência contra professores dentro das escolas. Uma pesquisa feita pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) com 34 países mostrou que o Brasil ocupa o topo do ranking de violência contra professores. Já o estudo realizado pelo Prova Brasil em 2015, apontou que ao menos 22.600 professores foram alvos de ameaças por parte de seus alunos e 4.700 sofreram atentados enquanto exerciam a profissão. O instituto ouviu 22.600 docentes do país.

Assessoria 

LEIA TAMBÉM

POLITICA 6846878817897215031

Postar um comentário

emo-but-icon

VÍDEO / trailer / Cinema

Em CARTAZ nos CINEMAS!

Curta nossa FanPage

PLUGADOS NO TWITTER

Mais Lidas

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

item