Corretora internacional prevê retomada do crescimento e juros baixos no Brasil

EXPECTATIVAS ECONÔMICAS  - OppenheimerFunds, gestora norte-americana que administra cerca de R$ 700 bilhões em recursos, diz que se sentiu e...

EXPECTATIVAS ECONÔMICAS - OppenheimerFunds, gestora norte-americana que administra cerca de R$ 700 bilhões em recursos, diz que se sentiu encorajada com o Brasil após reuniões com técnicos do governo Michel Temer. 


O Brasil está no caminho para voltar a crescer e atingir taxas de juros historicamente baixas. O comentário é de analistas da gestora de recursos OppenheimerFunds, uma das maiores empresas de investimentos dos Estados Unidos, que administra uma carteira de recursos avaliada em US$ 216 bilhões, cerca de R$ 700 bilhões ao câmbio de sexta-feira (06/01).

Em comentário publicado no site da instituição, e assinado pelo gestor Wim Vandenhoeck e pela analista sênior Claudia Castro, a Oppenheimer avalia que as reformas fiscais que têm sido propostas pelo governo Michel Temer podem promover crescimento e aumento da poupança interna.

"Acreditamos que a qualidade da gestão das contas públicas atualmente implementada (pela equipe econômica do presidente Temer) e a política monetária (conduzida pelo Banco Central) levarão o Brasil a um crescimento de longo prazo", escrevem os analistas.

Na avaliação da gestora de recursos com sede em Nova York, o maior rigor com os gastos públicos e a queda firme da inflação este ano -- que deverá voltar para o centro da meta de 4,5% ao ano após sete anos acima desse patamar -- levarão à autoridade monetária brasileira a "muito provavelmente" acelerar o ritmo de redução da taxa básica de juros (Selic). 

Juros

O Comitê de Política Monetária (Copom) iniciou em outubro de 2016 o processo de cortes da taxa que serve de referência para a concessão de empréstimos no País. Foram duas reduções de 0,25 ponto percentual, ritmo que os analistas da OppenheimerFunds acredita que deverá se intensificar a partir da próxima reunião, marcada para começar na próxima terça-feira (10/01) e que se encerrará na quarta-feira (11/01). Atualmente, a Selic está em 13,75% ao ano.

Para Wim Vandenhoeck e Claudia Castro, "somente com perseverança no fortalecimento do seu arcabouço macroeconômico o Brasil crescerá e esperamos ver taxas de juros reais historicamente baixas”, escreveram os analistas. “Infelizmente", pontuam os analistas da gestora de fundos, "não há solução fácil”, observaram , ao mencionar a urgência e a complexidade das reformas econômicas e estruturantes adotadas pelo Brasil.

O texto explica que o comentário foi escrito depois de reuniões entre representantes do fundo e integrantes do governo Michel Temer, além de empresários brasileiros. Após esses encontros, a OppenheimerFunds passou a ver um cenário mais positivo par ao Brasil.

Importância do teto dos gastos

“O limite de gastos deve ser visto como um primeiro passo importante na geração de opções viáveis para a recuperação e crescimento econômico”, argumentaram os dois especialistas.

“Além da política fiscal, o governo do Brasil tem uma ampla agenda de iniciativas destinadas a aumentar a produtividade e o crescimento de médio prazo, além de melhorar o ambiente empresarial”, argumentou.

Para a Oppenheimer, o governo tem o apoio necessário para aprovar a Reforma da Previdência no Congresso Nacional e tem deixado claro para a população a importância dessa proposta.

(Fonte: Portal Brasil, com informações da OppenheimerFunds)

LEIA TAMBÉM

POLITICA 2793067420724904279

Postar um comentário

emo-but-icon

VÍDEO / trailer / Cinema

hEm CARTAZ nos CINEMAS!

Curta nossa FanPage

PLUGADOS NO TWITTER

Mais Lidas

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

item